Jogos Olímpicos de 2020: Japão tem projeto de criar medalhas à partir de eletrônicos descartados



Ver as imagens

Jogos Olímpicos de 2020: Japão tem projeto de criar medalhas à partir de eletrônicos descartados

Os organizadores dos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio visam produzir as medalhas de ouro, prata e bronze à partir dos metais encontrados em smartphones e outros eletrônicos descartados, de acordo com um relatório do Asian Nikkei. 
O objetivo é que um regime deste tipo ajudaria a aumentar a consciência da sustentabilidade, embora o Japão precisa implementar um sistema mais abrangente para o recolhimento desses materiais.
De acordo com o Nikkei, o ouro e a prata contida em produtos eletrônicos descartados do país são responsáveis ​​por 16% a 22% da oferta global, respectivamente, e o seu fornecimento deveria ser suficiente para produzir medalhas olímpicas. 
As medalhas concedidas aos atletas nos Jogos de 2012 foram produzidas com auxílio de 9,6 kg de ouro, 1.210 quilos de prata e 700 quilogramas de cobre. Em 2014, o Japão recuperou 143 kg de ouro, 1.566 quilos de prata e 1.112 toneladas de cobre à partir de dispositivos descartados, de acordo com Nikkei. 
“Para que todos os japoneses participem dos Jogos Olímpicos de Tóquio, estamos pedindo às empresas para elaborarem uma proposta para coleta de concreto. 
Para isso, gostaria de trabalhar em conjunto com o Comitê Organizador Olímpico”, disse Yuko Sakita, da ONG Genki Net para a criação de uma Sociedade Sustentável. 
A ONG organizou a reunião de junho, que foi assistida por organizadores dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, assim como representantes de tecnologia e mineração.
O lixo eletrônico tornou-se uma grande preocupação para os grupos ambientais, com a ONU descrevendo-o como “um dos fluxos de resíduos de mais rápido crescimento do mundo” em ambos os países desenvolvidos e em desenvolvimento. 
Um relatório em 2013 projetou que o volume mundial de lixo eletrônico aumente em 33% até 2017, contribuindo para a presença de materiais tóxicos como chumbo, mercúrio, cádmio no solo e na água.
De acordo com o Nikkei, no Japão gera cerca de 650.000 toneladas de lixo eletrônico a cada ano, embora menos de 100.000 toneladas são coletadas – e muito desse montante vai para a produção de novos componentes eletrônicos. 
Muitos municípios no Japão ficaram aquém dos objetivos de recolha fixados pelo Ministério do Meio Ambiente, mas a esperança é que esse projeto com as medalhas olímpicas poderiam incentivar a reciclagem.
Fonte: The Verge
Foto: FreeImages

Nenhum comentário: